Slow Blogging: a Internet em passos lentos.



No mundo atual, criamos um ritmo tão acelerado que o próprio ser humano não consegue acompanhar. Seria possível desacelerar?

São diversos os movimentos que surgem para nos ajudar a encontrar uma sensação de controle em meio a tantos excessos, mas além de Minimalismos e Essencialismos, existem os movimentos 'Slow'. O Slow Living é um movimento que, como o próprio nome diz em tradução literal, promove o 'viver lentamente' e gira em torno de obter uma atenção e foco maior sobre todos os passos da rotina diária a fim de evitar o "piloto automático". Além do Slow Living, há o Slow Food, Slow Fashion e, o mais comentado e almejado pelos produtores de conteúdo nos últimos tempos, Slow Blogging.

Definido por Nátaly Neri como "a Internet na velocidade da vida", o Slow Blogging trata-se de um nível de produção online mais lento e, consequentemente, mais responsável. Enquanto muitos ainda buscam compreender o funcionamento dos algoritmos de redes sociais, outros priorizam qualidade, acima de quantidade. A qualidade almejada não limita-se apenas ao conteúdo produzido, mas também consiste na promoção de um estilo de vida mais saudável para os próprios produtores, assim como uma frequência de consumo mais regrada para o público.

Parece ideal diminuir o ritmo que tanto nos adoece, assim como solucionar fenômenos da desinformação, como as famosas fake news. Não depender do imediatismo virtual promete solucionar o fluxo descontrolado de informações nas redes, assim como cobrar uma produção e curadoria mais responsável dos emissores de conteúdo online. No entanto, enquanto dependemos de altos níveis de engajamento para um alcance satisfatório, o posicionamento proposto pelo Slow Blogging, na prática, limita-se a nomes e marcas top of mind, os quais, de certa forma, não necessitam de divulgação própria para manter-se "no mapa".

É importante ressaltar que os algoritmos foram formulados para moldar-se aos usuários, uma maneira de tornar o mundo virtual e experiência de consumo mais personalizada, uma mudança provocada pelo comportamento do próprio consumidor. Talvez tenhamos acelerado demais, mas o progresso para um equilíbrio da comunicação virtual pode ser, de fato, "lento".


© Conceito Comunicação Integrada