Publicidade para todas as raças



A Cara da publicidade está mudando, literalmente. Os estereótipos, que na maioria das vezes não combinam com o contexto social e a realidade das pessoas, estão perdendo espaço, não para outro modelo, mas para a diversidade.

Neste contexto, um seguimento que está conquistando mais visibilidade – não sem muitos esforços – é o da publicidade com pessoas negras como protagonistas. Embora 53% da população brasileira se declare negra ou parda de acordo com o IBGE, a representatividade deste público sempre foi ínfima. Entretanto, os números mostram que este perfil está finamente mudando.

Segundo a pesquisa “TODXS?”, promovida anualmente no Brasil pela Heads Propaganda, em 2015, apenas 1% das mulheres em comerciais de televisão eram negras. Já em 2017, dois anos depois, esta representatividade já era de 21% das campanhas publicitárias nos canais de TV.

O cenário é mais discrepante entre os homens, sendo que 87% dos protagonistas dos comerciais de 2017 foram exclusivamente com brancos e apenas 7% dos comerciais colocam homens negros em destaque. Ainda assim, a perspectiva de campanhas reforçando relações de igualdade entre as raças é promissora.

Recentemente, o comercial de dias dos pais produzido pela marca de cosméticos O Boticário causou alvoroço e debates nas redes digitais. O vídeo de 30 segundos é protagonizado por uma família negra em momentos de descontração, em que o pai relata como procura interagir para estar perto dos seus filhos.

No canal do youtube de O Boticário, o comercial recebeu 128mil “Gostei” até agora, mas o que impressionou foram os 18 mil “Não gostei” e os comentários racistas. Em nota oficial a empresa declarou, entre outras informações, que: “O Boticário se pauta pelo respeito a todas as pessoas e deseja que, muito em breve, questões como essa não gerem mais polêmicas”.

Assim como O Boticário, várias grandes empresas têm assumido posicionamentos mais diretos em defesa da diversidade, buscando contemplar de forma representativa os seus mais diversos públicos. Este posicionamento tem acompanhado não só a questão racial, mas também outros temas que estão em evidência.

A mídia e a publicidade são fortes influenciadoras em relação às pautas sociais, mas a via é de mão dupla, sendo assim, os profissionais da comunicação devem estar atentos para o que acontece ao seu redor. Ouvir, de fato, os discursos que estão frequentemente em pauta na sociedade, ajuda o profissional de marketing a saber como se posicionar e posicionar seus clientes neste cenário da diversidade, além de contribuir para a propagação da igualdade, respeito e tolerância.

Luana Feldens é jornalista e gestora de mídias digitais da Conceito


© Conceito Comunicação Integrada